EU FAÇO PARTE, E AGORA?



Há menos de três semanas o SBPV recebeu seus novos alunos, que já podem dizer com alegria: "Eu faço parte do Sbpv". Especialmente esse ano houve o maior número de jovens inscritos no CLD - Curso de Liderança e Discipulado. Os mesmos passam por adaptações em áreas especificas como: aulas, capela, tarefão, educação física, grupão e convívio no quarto. Todas essas áreas exigem do aluno extrema responsabilidade e disposição para enfrentarem suas dificuldades e crescerem em Cristo, fazendo também o que gostam. No "Fica ligado!" dessa semana, separamos algumas das principais dificuldades de adaptação, e ainda ouvimos alguns depoimentos nos quais  os próprios alunos falam como tem sido esse processo. Confira a seguir.

CLIMA

O clima de Atibaia é muito instável, o que significa que em um dia, podemos ter todas as estações. É claro que nesse início, as lindas "águas de março" vem fechando o verão.


Para lidar com esse clima diferentão, vale apelar para tudo, principalmente para Filipenses 4:4 e colocar aquele sorriso lindo no rosto.

Obs: capas de chuva, secadoras de roupa, guarda-chuva, carros, e cochilos no fim da tarde são sempre bem vindos.

AULAS / CAPELA

A capela acontece todas as manhãs, de terça a sexta, e é um momento muito especial de louvor a Deus com canções de adoração e uma palavra devocional. As principais dificuldades são chegar pontualmente no horário e por conta do mesmo, se manter atento na devocional. 

Para lidar com o sono, muitos alunos aderem a praticas convencionais, como: banho gelado ao acordar, café, polichinelo e até mesmo aquele amigo "benção" que já começa o dia ligado no 220. Afinal de contas, o momento devocional sempre tem muito a ensinar.



As aulas são momentos de estudo de forma ampla e dinâmica da bíblia, com diversas atividades, leituras, trabalhos e provas. Cada matéria trata de um assunto específico, e apesar de ainda estarmos no começo, muita gente já tem perdido o sono pensando nas notas (talvez até, essa seja uma boa estratégia para a hora da capela).

Aquele momento em que eu vejo minha nota de Teologia Sistemática.



Beatriz Borges - Cld 2016

“A minha maior dificuldade em relação aos dois é a questão da disciplina, acordar cedo e já ir para a capela. Eu sei que eu tenho que estar concentrada pra absorver tudo que tem sido proposto, então a minha maior dificuldade foi essa, entrar em uma rotina, em que eu preciso ter um bom descanso pra ter um bom resultado, em ambas atividades. A capela tem me edificado grandemente, eu sei que Deus tem trabalhado no meu coração de diversas formas e depois disso já tem a aula, um momento onde tiramos nossas dúvidas e adquirimos conhecimento  de uma forma que eu nunca imaginei adquirir, apesar do grande número de atividades. Mas eu sei que eu preciso me organizar bem para dar conta de tudo. E tem sido bom porque tenho treinado ter disciplina, organização, concentração e tenho sido muito edificada.”              


Quando perco o horário da aula...


O horário de chegada na capela, aula e demais atividades também é um grande desafio para os novos alunos que ainda não se adaptaram com a rotina.







Jordana Borges -
 Cld 2016.



  “A minha maior dificuldade é organizar o meu tempo para fazer tudo que me é proposto, ter um grande número de atividades e afazeres à parte, torna mais difícil organizar o meu tempo, mas sei que isso é bom pra desenvolver organização e aprender a lidar com as prioridades. Mas, apesar das dificuldades as alegrias são bem maiores, a cada aula tenho a certeza da escolha que fiz de passar um ano aqui, aprendendo mais do Senhor, porque cada aula é um novo aprendizado, Deus tem trabalhado o meu coração e me moldado com isso.” 




"TAREFÃO"

Todos os alunos têm seu próprio “tarefão” a cumprir durante a semana. São atividades que servem como "laboratório" para o Setor vida, além de ajudar na organização e limpeza do SBPV. Nesses momento, os alunos tem a oportunidade de por em prática, várias das qualidades cristãs que viram na teoria da sala de aula, como, servir e não ser servido, saber liderar, reação sob pressão, fazer tudo para a glória de Deus, não murmurar... #AlegriaAlegria


Eu, levando o "pequeno" lixo do refeitório.


Estevão - Cld 2016


“O meu tarefão é lavar louças as quartas-feiras no almoço, minha dificuldade é me acostumar a lavar meu prato, o dos outros, as panelas, já que antes não tinha esse costume. Mas, entendo que devo lavar com alegria, porque é feito pra Deus e isso modifica meu caráter, me deixa mais humilde. Além de ser muito boa a comunhão com as outras pessoas que fazem parte do meu "tarefão.” 








(Frederico) Guilherme Fonseca -
Cld 2016

“É interessante falar sobre o "tarefão", porque no meu caso, foi onde Deus iniciou o processo de mudança em alguns pontos na minha vida. Eu nunca fui fã de lavar a louça, na minha casa fugia dessa tarefa, mas em meu primeiro "tarefão" descobri que fiquei encarregado de lavar as “pequenas” panelas da estancia, passei duas horas lavando, logo percebi que realmente Deus nos molda nos mínimos detalhes. Hoje o "tarefão" é momento de alegria pra mim: cheio de brincadeiras com companheiros, muitas risadas e muita roupa molhada. Saber que o Senhor esta ali moldando nosso caráter me traz uma alegria imensurável e me faz ter a certeza que o "tarefão" é imprescindível nesse tempo de seminário.”


EDUCAÇÃO FÍSICA

  O aluno deve fazer Ed.Física três vezes na semana, duas "não dirigidas"(sem acompanhamento de um professor) e uma dirigida. A dirigida acontece uma vez na semana de acordo com a atividade que o aluno escolhe fazer (vôlei, handball, judô, futsal, futebol, basquete, condicionamento físico...). Essas atividades são obrigatórias, também servem para o Setor Vida e tem como objetivo cuidar da saúde dos alunos que ficarão no período de um ano aqui.

O bom da "dirigida" é o público kkk


Jéssica Krebs - Cld 2016
 



Uma das minhas maiores dificuldades é ter disposição para fazer a educação física. Mas, quando faço é sempre uma alegria ver que isso está sendo mudado, porque antigamente eu era muito parada e agora isso esta fazendo muito bem pra mim, pro meu corpo e pra minha saúde.” 








Davi Almada -
Cld 2016




“Vejo que a educação física é um ótimo lugar pra você se socializar com as pessoas, ter um momento de comunhão, conhecer novas pessoas... é um tempo muito bom. Porém em Brasília eu era acostumado a fazer muito mais esporte e vejo isso como dificuldade pois estou tendo que aprender a administrar meu tempo pra conciliar com meu estudo.” 








GRUPÃO
Os alunos são divididos em grupões, onde orientadores (casais residentes) os recebem em suas casas uma vez na semana para um momento de descontração e orientação. Além de irem para ministérios aos finais de semana com o grupão e ajudarem na organização de eventos do SBPV. A saudade de casa é algo inevitável, mas por que não tornar tudo mais tranquilo com uma "família" do SBPV. 


Aiiiii, desculpa, desculpa, desculpa... Não conta pra mãe...



No começo pode parecer difícil, mas com o passar do tempo, e o estreitar de laços, seus companheiros de grupão não serão apenas colegas, mas verdadeiros irmãos. E como todo bom irmão, ele deixará marcas... 












André Motta - Cld 2016




Uma das dificuldades na questão do grupão é você ter que se adaptar com pessoas que tem personalidades diferentes. Mas, o que gostei muito é você ter, tipo uma “família” aqui, você esta longe dos seus pais, então ter alguém te acompanhando sempre é muito bom.” 







Thamyres Brito - Cld 2016




“Ainda não vi o lado ruim do grupão porque ainda só tivemos um encontro. Mas, a alegria é saber que vou ter pessoas perto de mim, irmãos, com quem contar, crescer e poder ter como família.”









QUARTO

Os quartos são separados "aleatoriamente" (soberania Divina), são em média quatro alunos por quarto, sendo que cada quarto de meninas tem sua “mãe de quarto” e de meninos, seu “pai de quarto”, Além é claro de um(a) decuriã(o) por prédio, responsáveis por manter a ordem, aconselhar, conferir a execução das atividades e investir na vida de cada aluno. Eles fazem um cultinho semanal com o quarto, para que haja união entre eles, compartilhando suas atividades diárias, dificuldades e alegrias nessa nova fase.


"Como o ferro afia o ferro, assim
 o homem a seu amigo" Pv. 27.17






Uma das dificuldades na adaptação do quarto, é a convivência com pessoas criadas de formas diferentes, em culturas diferentes, em realidades diferentes... E é nesse momento que o Setor Vida avalia o versículo "Cada um considere, com toda a humildade, as demais pessoas superiores a si mesmo. Cada um zele, não apenas por seus próprios interesses, mas igualmente pelos interesses dos outros." Fp 2:3









Natan - Cld 2016



“A alegria do quarto é você conhecer pessoas que querem o mesmo objetivo que você aqui, pessoas que querem parecer cada vez mais com Cristo e aprender sobre a bíblia. E as dificuldades são que as pessoas são diferentes, tem costumes diferentes e é difícil as vezes a convivência com pessoas que você nunca viu antes.” 






GORILA! GORILAAAAA!!!






E é claro, sempre tem aquele dia que você não está com muita paciência. É compreensível. E é nesse dia que você pára, e lembra do seu amor cristão, e de que, é claro, ninguém é obrigado. Então você respira fundo, abre aquele sorrisão, e bola pra frente.










Larissa Beira - Cld 2016


“As dificuldades que enfrento no quarto é a adaptação com pessoas diferentes, eu que sempre morei em um quarto sozinha, morar com mais três pessoas é complicado, para se adaptar a horário de banho, jeito de cada uma e personalidade. Mas acredito que a cada semana vamos nos adaptando cada vez melhor. Temos o cultinho de quarto onde compartilhamos experiências e acredito que no final, tudo vai se encaixar e estaremos como irmãs.” 








Bem, essas são algumas das dificuldades de adaptação que os "Sbpvenses" tem que enfrentar. A adaptação pode ser difícil, mas com toda certeza, é uma bela e divertida adaptação. O "Fica Ligado!" dessa semana termina por aqui, com um desafio: deixe toda adaptação mais bela, ame, "simplesmente"ame, talvez não pareça ser o caminho mais fácil, mas é o único caminho.


"Ame o que quer que seja - seu coração certamente vai se apertar e poderá se desfazer pela dor. Se quiser garantir que ele permaneça intacto, não o entregue a ninguém, nem mesmo a um animal. Cubra-o cuidadosamente com hobbies e pequenos luxos; evite qualquer envolvimento; mantenha-o seguro no caixão de seu egoísmo. Mas nesse caixão - seguro, escuro, imóvel e abafado - ele mudará. Não se desfará pela dor, mas se tornará duro, impenetrável e irredimível. A alternativa para a tragédia ou, no mínimo, para o risco da tragédia, é o inferno."
C.S Lewis... (The four loves 1960).

2 comentários:

  1. Amei esse post! hahahaha já passei por tudo isso e sei o quanto foi edificante pra mim! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Não sei de quem foi a ideia do blog, mas gostei muito.. Parabens!!

    ResponderExcluir